Notícias

CORONAVÍRUS: 94% DOS ALUNOS DE INSTITUIÇÕES PARTICULARES QUEREM CONTINUAR ESTUDANDO, DIZ PESQUISA

Estudo sobre o impacto do novo coronavírus na educação superior, realizado pela empresa de pesquisas educacionais Educa Insights e divulgado pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), mostra que 94% dos alunos que cursam ensino superior presencial em instituições particulares de todo o país pretendem dar continuidade aos estudos, independentemente dos impactos da pandemia do novo coronavírus (COVID-19). A pesquisa será repetida em outros dois momentos, de modo a acompanhar a evolução da situação.

Os dados foram apresentados nesta quinta-feira (02/04) em coletiva que reuniu jornalistas dos principais veículos de imprensa nacionais e, logo em seguida, no Seminário Virtual ABMES “Coronavírus e educação superior: o que pensam os alunos e como sua IES deve se preparar?”. Instituições de todo o país puderam acompanhar a exposição do diretor presidente da ABMES, Celso Niskier, acerca da mudança de cenário provocada pela pandemia e esclarecer dúvidas para as tomadas de decisões das IES.

Continuidade
Embora considerem de extrema relevância os impactos da pandemia para o país, 57% dos alunos entrevistados pretendem dar continuidade aos estudos seja qual for o cenário. Outros 37% temem que o vírus possa trazer riscos à continuidade do curso. Apenas 6% avaliam desistir dos estudos em função do cenário atual, conforme aponta o relatório.

“A pesquisa mostra que o valor da educação está muito assegurado, mesmo diante desta crise. Porém, nós, como instituições de educação superior, precisaremos agir no sentido de atender individualmente aos que querem continuar estudando, mas estão em situação de risco financeiro. Cada instituição deve fazer isso com as ferramentas disponíveis. O importante é não deixarmos nenhum estudante para trás”, afirmou Celso Niskier.

Captação
O estudo ouviu também pessoas que planejam iniciar um curso superior, presencial ou EAD, nos próximos 12 meses. Igualmente preocupados com os impactos do COVID-19 no futuro do país, 44% dizem que o cenário provocado pela doença tem baixo impacto na decisão de começar uma graduação. Por outro lado, 39% acreditam que as consequências do novo coronavírus podem causar alto impacto na decisão de ingressar em um curso superior. Outros 18% avaliam que o cenário atual deverá causar impacto moderado.

Mesmo diante de um cenário instável em decorrência do avanço do vírus no país, 22% dos prospects planejam iniciar sua graduação no próximo semestre. Outros 30% esperam ingressar em um curso superior no início de 2021. Enquanto 43% disseram que preferem esperar a situação normalizar e só então decidir o momento ideal para ingressar na faculdade.

Daniel Infante, sócio fundador da Educa Insights, ressaltou a mensagem positiva encontrada nos resultados e acrescentou que “temos algumas responsabilidade e prioridades óbvias nesse primeiro momento, como ajustes acadêmicos e controle financeiro, mas as IES não devem deixar de planejar sua captação. Até o momento, os alunos não pretendem parar de estudar. Essa demanda existirá”.

Reposta imediata do aluno
Quando perguntados sobre quais fatores poderiam influenciar em uma possível desistência do curso, a maioria (58,4%) apontou preocupação com a manutenção do emprego. Outros 11,9% disseram temer que seus pais ou responsáveis não consigam arcar com as mensalidades. A dificuldade de adaptação ao modelo de aulas virtuais foi apontada por 15,3% dos entrevistados. Ainda 7,5% afirmaram que poderiam desistir do curso para usar o dinheiro para cobrir outras despesas e 6,9% deixariam o curso caso não fossem interrompidas as aulas presenciais diante do risco de contaminação ao novo coronavírus.

União
O diretor presidente da ABMES explicou que apresentar e esclarecer esses dados para as IES de todo o país vai ao encontro do objetivo da Associação, especialmente em momentos mais delicados. “Nosso papel é ajudar para que as instituições tomem as melhores decisões em tempos conturbados. O que importa em primeiro momento é vencer a batalha do coronavírus, mas, ao mesmo tempo, precisamos colocar na pauta a educação, pois ela garantirá o futuro do país. Não podemos parar, temos que perseverar, nossos estudantes precisam da gente para conquistarem um futuro melhor”, conclui Niskier.

Levantamento
O estudo foi realizado virtualmente entre os dias 20 e 23 de março com homens e mulheres, de idades entre 17 e 50 anos, pertencentes às classes socias A, B, C e E. Foram ouvidos 485 alunos de graduação, matriculados em cursos presenciais ou EAD de instituições particulares, há pelo menos 6 meses.

Também foram entrevistados outros 512 potenciais alunos que tenham interesse de início em cursos de graduação presencial ou EAD em faculdades privadas nos próximos 12 meses. Estão previstas outras duas etapas da pesquisa, que deverão ser realizadas na segunda quinzena de abril e em meados de maio de 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Abrir conversa
1
Precisa de ajuda?
Olá, podemos ajudar?